quinta-feira, 16 de abril de 2015

Primeira ilhada da época

As condições não têm estado fáceis e a primeira ilhada da época tardava em concretizar-se. As previsões davam uma sota e numa rápida combinação com o Nuno e Manel, que tinha abalado à frente para fazer umas pedradas e confirmar as previsões, abriam perspectivas de uma excelente manhã de pesca.
Tal veio a confirmar-se, como a foto documenta, e o peixe foi entrando no pesqueiro.


A medo, pois a última "aventura" ainda estava fresca na memória, aproveitei para cavar umas unhas enquanto o pesqueiro ia metendo água e o Nuno corricava aos compridos, sem sucesso...


Quando começamos a pescar, o marilhote trazia uma grande embalagem e estava falso, pelo que todo o cuidado era pouco! Sempre com um olho no burro e outro no cigano, não vá o diabo tecê-las...


Com a chegada do D. Sebastião, deixou de se ver um palmo à frente! O cuidado tinha que ser redobrado porque a vaga só se avistava quando já estava quase em cima da pedra.


Amizade e camaradagem sempre presentes ; )



Saúde, da boa, para todos! ; ))

terça-feira, 14 de abril de 2015

Com brutes na lutes!

Tava tudo a montes: mar, peixe e...vento! Pesca rapidíssima com o Nuno e o Cris (não chegou a uma hora em cima da pedra) mas que ainda deu para fazer o gosto ao dedo.
Às vezes existem dias assim, como esta pesca que já tinhamos relatado AQUI.


 Difícil mesmo foi atracar à pedra 


 Saúde, da boa! ; )) 


quinta-feira, 9 de abril de 2015

Antes do defeso

Caros seguidores e leitores,

Antes de se instalar o maldito defeso, combinei com os marafados Carlos e Zé Pedro irmos jogar umas amostras uma vez que... teoricamente estavam reunidas condições propícias para a captura do robalo com artificiais.

Mal grado, após muito lançar e palmilhar entre laredos e rebolos da zona, o resultado final resultou num tremendo xibo!


Porém, tínhamos como plano alternativo pescar um pouco ao sargo a iscar com sardinha caso a 1ª opção redunda-se num fracasso.

Assim foi! Artes montadas com as chumbicas rapidamente a voarem para dentro de àgua e sargos para dentro da ceira.

Mais uma jornada simpática, na companhia de 2 excelentes amigos onde a diversão e a gargalhada é predominante.

Abraço e até à próxima postagem.

NC

terça-feira, 7 de abril de 2015

Amêndoas da Páscoa

Manda a tradição cristã que na 6ª feira Santa os católicos se abstenham de comer carne. Nesse dia o peixe é a alternativa para muitas pessoas. Este foi o mote para os Marafados receberem no seu reduto pescadores de outras paragens, nomeadamente o Francisco e o Ricardo.
O resultado desta pescaria não podia ter sido melhor e foram capturados uns valentes Matateus, como se pode ver na foto.


As perspectivas de vento fraco e mar manso saíram goradas quando chegamos ao pesqueiro e nos deparamos com ventos e rajadas fortíssimas do quadrante Leste e mar-de-leva com mazarulhos de 3mts!
Dadas as circunstâncias, tivemos que adaptar a pesca às condições e a opção recaiu sobre a bóia-de-correr, com lastro de 80g, e a chumbica, de 30g.
Apesar das condições adversas e dos banhos constantes, os Marafados não desistiram e os Matateus foram compondo o ceirão.

Explosão de Adrenalina


Banho


O Francisco vestiu rapidamente a pele de Marafado destemido e enfrentou as adversidades com distinção, também tendo arrebanhado uns Matateus.


Anda cá ao pai!


Felicidade


Momento Mágico


Saúde, da boa, para todos! ; ))

quinta-feira, 2 de abril de 2015

A estreia

Um dia destes combinei com o Manel e o Nuno fazer a abertura do defeso do Sargo no PNSACV e o meu regresso às fainas.
A intenção seria matar as saudades de ferrar uns Matateus e fazer o teste ao meu joelho, para ver se já se aguentava. Os pesqueiros teriam que ser softs, com bons acessos e sem irregularidades, pois não poderia forçar muito logo à primeira porque ainda está fresco...
O plano passava por fazer umas pedradas na praia durante a noite e no dia seguinte logo se veria, consoante as condições atmosféricas e de mar.
O resultado do teste foi bastante satisfatório, como a foto abaixo documenta. LOL


Durante a noite, ao norte, o mar tinha uma grande embalagem e a água corria bastante, mais parecia uma ribeira! As chumbadas de 170grs lançadas em direcção a sul não demoravam 5 minutos a ficarem aproadas a norte e se juntarmos algumas enrocadelas, perca de material e a ausência de peixe, foi o q.b. para levantar ferro e rumar a outro porto.


Desta feita fomos até ao sul mas o cenário era quase idêntico porque o mar que estava ao norte também entrava ao sul, com a agravante de que a água ardia... Mesmo assim, com insistência, porque a fome de pesca era muita LOL, ainda sairam umas Avárias e uns Sargotes.
Com o passar do tempo e alguma ausência de peixe, decidimos comer a bucha e levantar ferro novamente porque a hora combinada com o Nuno estava a aproximar-se.



No dia seguinte as condições mantinham-se, o que inviabilizou uma corricadela aos compridos no aceio da manhã, pelo que resolvemos pescar à boia, em altura, e em boa hora o fizemos pois o peixe entrou no pesqueiro disposto a colaborar.



As capturas de Sargos de boa bitola foram-se sucedendo e o ceirão foi ficando composto. No final da manhã resolvemos levantar ferro novamente, desta vez definitivamente. Entretanto, chegaram o António e o Pedro que, juntamente com o Nuno, permaneceram no pesqueiro até mais tarde para efectuarem mais umas capturas.


Saúde, da boa, e até uma próxima! ; ))