terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Robalos & fateixas cravadas

Neste dia aconteceu de tudo um pouco: peixe apanhado, peixe devolvido, peixe perdido, peixe roubado e fateixa cravada...na mão! eheheheh
O dia começou bem cedo, num pesqueiro com excelentes condições: ausência de vento, ceu nublado, água leitosa de cor turquesa e mar com conta, peso e medida, mesmo como o peixe gosta. O Renato foi o primeiro a abrir as "hostilidades", tendo cravado um Robalo, que desferrou. De seguida, ferro dois, que sairam para fora. Apanho mais um peixe, a rondar o Kg, que devolvo.

O primeiro peixe saiu com a cor "Union Jack" eheheheh

Mais uma varejada

O mar estava falso: ora dava umas chanadas, ora vinham uns cacetes

Vai de vira!

Mais um pexeco

Demos uma emposta e mudamos de pesqueiro, também com excelentes condições. O Renato, mais uma vez, abriu as hostilidades, tendo conseguido tirar um peixe para fora: vinha "roubado" pelo rabo! eheheheh Não fiquei atrás e também "roubei" um peixe pelo rabo, que devolvi. O Renato crava outro e eu, ao mesmo tempo, também cravo um, que devolvi. Novamente, o Renato crava outro peixe, desta feita um Travessão. No local onde se encontrava era impossivel suspender ou avarar o peixe. Desço a pedra, agarro a linha e avaro o peixe. Quando vou para jogar a mão ao peixe, as fateixas descravam-se, porque estavam abertas, vem o mar e leva o peixe. Dassssssssss!!!

Fateixa aberta

Novo lançamento e apanho a amostra do Renato. Desempaxo tudo e quando vou jogar a amostra para água, para ele recuperar, a linha prende no marisco e a fateixa crava-se na mão (dedo indicador direito). Sem stresses, penso eu, é só mais um piercing...(o segundo) "Renato, Renato, vem cá dar uma ajuda porque tenho uma fateixa cravada na mão!" Mas onde é que estava o Renato??? Foi-se esconder por trás de uma pedra!!! AHAHAHAHAH
Bom... Como a fateixa não passou de um lado ao outro do dedo, por causa do osso, lá tive que desargolar a fateixa da amostra, rodar a fateixa e furar a carne, para a barbela sair do outro lado do dedo, tudo sózinho! Chamo novamente pelo Renato, para ele me ajudar a cortar a fateixa com o alicate, e lá aparece o rapaz, branco que nem a cal, e cortou a fateixa. AHAHAHAH

  Para não ferir susceptibilidades, fica aqui só a foto do dedo e da fateixa cortada

Na jogada seguinte, mais uma vez, apanho a linha dele e, pensando tratar-se de um peixe, dou a ferrada e cravo um Robalo com a amostra dele. eheheheheheh
Nova jogada e mais um peixe cada um, tendo devolvido o meu. Entretanto, chega um borracheiro com dois corvos marinhos a bordo, que começaram a mergulhar 100mts por fora da gente. Dasssssssss!!! Já não há respeito! Claro está, que a pesca acabou para nós os dois naquele momento.
Demos nova emposta, desta feita até ao café, para retemperar energias e desinfectar o dedo...com medronho! eheheheheh
Video disponivel no MTv.

Saúde, da boa ; ))

11 comentários:

Manuel disse...

Bom, no relato só faltou mesmo, foi o barrote...:)

Mas pelo menos deu para entreter melhor do que na outra vez que a gente se encontrou...

Uiiii, o Spot, estava cá com um ambiente, é claro que tinham vir estragar a festa...

É o que dá, andas sempre a indicar os pesqueiros, cravas depois com a fateixa no dedo indicador...:)

As melhoras, mas acho que já estás mais que em forma.

Forte Abraço

João Pinto - http://sheospinning.blogspot.com/ disse...

Dasss que essa deve de ter doído...

Mas pelo menos sempre saiu um peixito, no Sábado passado doeu-me foi a carteira, para tirar (e libertar) um peixe abaixo da medida perdi uma silent assassin de 16CM nova, um Jig da Seaspin e uma Zagaia com atrelado Savage Eel.

Pelo menos não furei o dedo hahaahah

Grande abraço
JP

Pedro Nunes disse...

Móóó PJ!!! Isso foi uma pesca cheia de imprevistos, peixes roubados, peixes desferrados, patos bravos, sei lá mais o quê...

Espero que da próxima corra melhor...
Saúde da boa

PêJotaFixe disse...

Manel,
Pois... O Travessão, foi pena ele ter abalado... Fica para a próxima.
Na outra vez estava muito mar...
Não se aponta que é feio! eheheheh
Obrigado e para ti também. Ouvi dizer que andavas um pouco combalido...

João,
Não doeu nada! eheheheh É o hábito... AHAHAHAH
A mim já me tem acontecido o mesmo mas é com os télélés: debruçar-me e eles cairem. Grrrr! No outro dia apanhei um pexeco de 700grs, fui liberta-lo e ele partiu-me a palheta de uma amostra. Foi o agradecimento. eheheheh

Wolf,
Epá... Já devias saber que uma jornada de pesca comigo é uma aventura imprevisivel. eheheheh
Isto já está bom. Aliás, nesse dia continuei a corricar como se nada tivesse acontecido. É carne de cão, digo...carne para canhão! AHAHAHAH

Saúde, da boa, para todos ; ))

Cristóvão Veríssimo disse...

Grande jornada essa!
Ao mens trouxe alguns peixes!

Força abraço!

PêJotaFixe disse...

Cris,
Realmente, foi um dia cheio de acontecimentos e...peixe. eheheheh

Saúdinha ; ))

Pedro Franco disse...

Boas Pejota, uma pescaria com direito a tudo, desde patos bravos, peixes roubados e dedos farpados, grade maquina é sempre a aviar!!!
Contigo pesca é sinonimo de animação e peixe também, faltou mesmo foi o barrote, mas vem da próxima.
Abraços e continuação de jornadas animadas

PêJotaFixe disse...

Viva, Pedro!
Para tristezas, já basta a situação dificil que o nosso país e os Portugueses estão a atravessar. A pesca serve para espairecer, cimentar amizades, divertir e, se possivel, trazer uns pexecos para casa.

Saúde, da boa ; ))

Claudio Pereira disse...

Pois é PêJotaFixe, há dias assim. É pena é que um gajo não possa caçar esses patos bravos nem que seja há pedrada. Há dias aconteceu-me o mesmo mas o corvo ficou a bordo de mirones no olhos a controlar a costa. A vergonha era tão pouca que chegaram a estar a 30mts. Mandei umas chumbadas bem ao lado do borracheiro e os patos nem estiveram 10min. dentro de água. Pouco tempo depois aparece a PM com queixa de pedradas...hehehehe o rochedo nem um grão de areia tinha solto, quanto mais pedras. Foram apresentadas licenças (sim porque não estava sozinho) e ouviu-se da queixa. O assunto fez-me rir por ter sete testemunhas que, além de se saber ser permitido o local para a actividade, perguntaram à PM se é normal patos a mergulhar e corvos de binoculos. Enfim, o caso não deu em nada e parece que os fatos dos patos tinham engodo: a partir daí é que se começaram a apanhar alguns peixes. Só faltou anzois nos dedos tambem para complementar o belo dia.

Saudinha da boa

PêJotaFixe disse...

Boas, Claudio!
É preciso haver bom senso de ambas as partes porque quem chega primeiro é que deveria ter direito ao pesqueiro e quem vem mais tarde só tem é que respeitar e ir à procura de um novo "poiso". Com um mar tão grande não deveria haver problemas destes.
N.R. A PM foi rápida pa caraças! eheheheh

Saúdinha ; ))

Claudio Pereira disse...

sim, desde há 2 anos que eles têm sido rapidos nestes casos. Ainda poderia falar de outro caso que aconteceu, mas esse será outro tópico. Trata-se de assaltos a viveiros de ameijoas, que é o meu outro lado pescador, fui criado assim hehehe

saude da boa para todos