terça-feira, 9 de março de 2010

Uma Pesca (A) Tento

Uma folga no trabalho culminada com uma ida à pesca!

3 minutos ao telefone com o meu amigo e companheiro de pesca Paulo Cabrita, foram mais que suficientes para combinar a jornada e ultimar horas bem como local de partida.

Infelizmente, compromissos profissionais falaram mais alto e o Paulo perto da hora do almoço teve que seguir viagem.

Constatei que o mar era pouco e a àgua relativamente aberta pelo que optei por não engodar apesar de ter um balde ali mesmo "à mão de semear".

Resolvi desta vez por pescar (a) tento que também tem muitas outras denominações, tais como, Engana, Chumbadinha, etc...

A montagem... é a mais simples do mundo: uma chumbica ( 8, 10, 15 gr consoante o estado do mar) e anzol. Esta é a denominada forma de pescar Directo a Tento ou ao Engana.

Esta modalidade foi a que me pareceu mais útil no momento uma vez que se começou a levantar um temporal com muita chuva e algum vento à mistura!

As primeiras capturas tiveram como isco a gamba! De vez em quando ia mudando de sitio para não escaldar o pesqueiro e optava por fazer uns lançamentos noutras direcções e noutros pontos, alternando a gamba com a sardinha!

Por outro lado, registou-se o facto de muito peixe grande partir porque como rota de escape fugiam por detrás de um lajão sendo quase impossível retirá-los! Não é Paulinho?! Deveras frustante pois chegavam a ser 4 ou mais vezes sucessivas... esta adrenalina com sabor amargo!


De referir que os maiores exemplares foram todos eles, quase na sua totalidade apanhados com esta última isca talvez pelo facto de efectuar umas iscadas generosas. E os Sargos grandes, agradecem!

As condições climatéricas foram-se agravando impossibilitando de conseguir pescar dentro do mínimo exigível.

No entanto, o saldo parece-me francamente positivo na medida em que o peixe ia colaborando, de vez em quando, e facilitou a prática e arte desta modalidade de pesca que tanto gosto, para além da bóia, claro está e spinning.


Material usado: Cana Tica Rocha Sargo 5,40 e carreto Taurus 4500s.

O próximo episódio será especialmente dedicado a estrear a nova cana de 5,00 mtrs: A MARAFADOS ESPECIAL MATATEUS, totalmente quitada e artilhada!

Deixo aqui o registo fotográfico da pesca do Paulo Cabrita.


Aguardem!


Abraço a todos.

Nuno Caçorino

17 comentários:

PêJotaFixe disse...

Amigo Nuno,
Tento é uma coisa, Engana é outra e Chumbadinha é um termo travestido dos dois anteriores. Eheheh Pescar a Tento é com a chumbica no ar junto aos pés. Pescar ao Engana é com a chumbica no fundo junto aos pés ou mais por fora. Deixa lá esses estrangeirismos e começa a falar numa linguagem de pescador porque já não basta a boia passar a pião e o cesto passar a rebeca, senão agora o tento, engana e reboliço passar a chumbadinha! Eheheh

Abraço e saudações piscatórias

Anónimo disse...

Boas,

Lindas Pescas, Vamos lá ver se consigo tirar um dia esta semana para vos tentar imitar.

Abraço

Sérgio Tente

Kaywox disse...

"... De vez em quando ia mudando de sitio para não escaldar o pesqueiro e optava por fazer uns lançamentos noutras direcções e noutros pontos..."

os vossos pesqueiros devem ser espetaculares, os pesqueiros de sargos não são propriamente pesqueiros de se escaldarem, na minha zona, pesca-se atras deles e não a sair de onde eles estão,
quanto muito faze-mos para os manter juntinhos ao pé de nós.

não deixo de felicitar os pescadores com esta boa saida

1 abraço

Anónimo disse...

Bem Nuno Caçorino, nem as peixas te resistem...borrachão lindo...

bjs
SJC

j.m.miguda disse...

Boas Nuno, um abraço para o Paulo, parabens pela teca de sargos.Lá está o Paulo com o seu mau feitio em relação aos termos utilizados.Então rebeca não é porreiro? "É porreiro mas é para pôr o nome num cão e mesmo assim se fosse meu não o fazia Ah!Ah!"
Um abraço, José Miguel.

Nuno Caçorino disse...

Caro Kaywox,

Teoricamente está tudo certo que escreve retirando o simples pormenor de que se há pesqueiros que ficam escaldados, esses são os dos sargos! Com robalos e douradas o caso muda de figura! Porém não se esqueça que o fenómeno de escaldar o pesqueiro depende de muitas variantes, tais como, tamanho do mar, tonalidade das àguas, muitas bóias e chumbicas a caírem dentro de àgua, o tempo que outros pescadores demoram a retirar o peixe dentro de àgua etc...

Foi o caso! Por esse facto, nem tudo aquilo que parece, é!

Abraço

Nuno Caçorino disse...

Menina SJC, se a formosura ajudar então faço votos que perdure pois é sinónimo de peixe no ceirão!

Obrigado e um beijinho.

Nuno Caçorino

Nuno Caçorino disse...

Sérgio,

Obrigado pelo comment! Não esteve fácil.

Aqui por baixo, faz-se o que se pode apesar do mau tempo (8 horas sempre debaixo de chuva e vendaval) em nada facilitar a pesca.

Mesmo assim, os marafados marcam presença e tentam fazer sempre o seu melhor.

Belos robalotes os teus! Faço votos que continues nessa senda.

Abraço.

Nuno Caçorino disse...

José Miguel,

Obrigado pela observação!

O abraço ao Paulo será entregue juntamente com uma varejada da ponteira da cana mesmo no meio da testa para perder o "mau feitio". Eh eh ehehe!

Cumprimentos amigo!

Nuno Caçorino disse...

My brother Paulinho,

Apenas te digo que tinhas uma grande probalidade de fazeres fama e fortuna com a realização e respectiva publicação de um compêndio focalizado na terminologia de palavreado "piscatório". Eh eh eh eh..!

Big abraço Amigão.

barreira disse...

bem haja saude e força na vara para apanhar muitos mais, porque por esse andar tenho que abrir uma banca no mercado para vender peixe...lol
continuem a dar lhe forte e feio
abração

PêJotaFixe disse...

Amigo Nuno,
Não é mau feitio. É o nome das coisas! As revistas é que desvirtualizam os nomes próprios das coisas atruindo-lhes outros que os autores dos artigos pensam, acham ou julgam serem mais sonantes. "A César o que é de César". Quanto ao compêndio, não seria má ideia. Podia ser que alguém aprendesse alguma coisa tal como eu aprendi.

Amigo Zé Miguel,
Abraço recebido! Rebeca soa-me a nome de pileca, asno, jumento ou burro. Eheheh

j.m.miguda disse...

É verdade mas que raio de nome esses gajos haviam de inventar.Penso que foi por causa do Luis Batalha o MESTRE deles.
E tambem ao migador sabes qual é o termo? Eu digo-te (O pisa) esta se calhar não sabias.Um abraço J.M.

PêJotaFixe disse...

Amigo Zé Miguel,
Mestre? Comandou alguma embarcação de pesca? Se assim for também eu sou mestre! Aliás, se tenho duas serei...
Eles em vez de encestarem o peixe, enrab.. o peixe! Eheheh Essa do migador também já sabia. Pisa Papeis lol

Abraço e saudações piscatórias

Pedro batalha disse...

Boas Marafados
Mais um belo momento desta nossa paixão, belos peixes.
Seja à boia, tente, chumbadinha ou qualquer outra modalidade, o importante são os momentos passados junto ao mar e as capturas efectuadas.
Abraço desde o Ribatejo

Nuno Caçorino disse...

Viva Pedro.

Obrigado.

Sem dúvida alguma que o mais importante desta actividade são como dizes os momentos de camaradagem na pesca e por último os peixes dentro do ceirão.

Abraço.

Nuno Caçorino

Sargus disse...

Boas Nuno, parabéns pela jornada...

;)

Quanto a um comentário elaborado por um tal de Mestre Marafado, tenho a tecer alguns comentários, em primeiro lugar onde eu já ouvi o termo TRAVESTIDO????

Quanto ás terminologias, que de norte a sul variam de acordo com as zonas.

Para mim e na minha humilde opinião e perante o que me ensinaram:

Tento: Pesca directa com cana telescopica sem passadores.

Engana/Chumbadinha: técnica semelhante ao tento, mas com cana de passadores podendo optar pela profundidade a que queiramos pescar uma vez que dispomos de carreto.

Sobre esta técnica já li que existe pessoal a pescar à chumbadinha com chumbadas de 20/30/50 gramas, que segundo a minha opinião nada tem a ver com chumbadinha mas sim com pesca de fundo.

A pesca é tão simples o pessoal é que a complica...

Abraço